quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Mil dias na Toscana - Marlena de Blasi (Desafio Literário 2012)

Esta postagem é parte do Desafio Literário 2012, que no mês de janeiro tem como tema Literatura Gastronômica.


Sinopse: "Há alguns anos, quando se conheceram, Marlena e Fernando se apaixonaram à primeira vista e começaram a viver uma história de amor que mais parecia um conto de fadas. Agora, decidem que chegou o momento de dar adeus a Veneza, onde tudo começou, e partem em busca de uma vida mais tranquila.
O destino escolhido é San Casciano dei Bagni, um vilarejo com 200 habitantes, fontes termais e olivais centenários. De início, Fernando está mais empolgado do que Marlena. No entanto, nesse pedaço de terra onde a Toscana, a Úmbria e o Lácio se encontram, as amizades amadurecem à mesa, em torno de refeições gloriosas regadas a vinho tinto. O que poderia ser melhor para uma chef de cozinha?
Novamente, Marlena e Fernando vivem um caso de amor à primeira vista. Dessa vez pela aldeia e pela vida no campo, pelos vinhos artesanais e pela esplêndida cozinha, pelo céu toscano e pelos sinos da igreja local. Mas, acima de tudo, pelo velho Barlozzo, que os recepciona, os adota e, aos poucos, também se apaixona por eles.
Guiados pelo “duque”, eles descobrem tabernas rústicas, onde o jantar é qualquer coisa que tenha sido colhida ou caçada naquele dia; participam da vindima; visitam festivais sazonais; catam castanhas no bosque; saem para caçar trufas e cogumelos selvagens; sobem em árvores para apanhar azeitonas, uma a uma, e depois experimentam o azeite recém-espremido sobre um pão simples de casca crocante.
À medida que o afeto entre eles vai crescendo, Barlozzo começa a mostrar suas feridas abertas e a revelar seus segredos mais profundos. Um deles tem a ver com Floriana, uma linda e agradável senhora que logo se torna amiga inseparável de Marlena.
Ambientado num dos lugares mais bonitos do planeta, Mil dias na Toscana é uma história sobre um estilo de vida simples, doces paixões, amizades e refeições compartilhadas. E, acima de tudo, é uma história de amor verdadeiro – um amor que não tem idade nem fim." (Editora Sextante)
Escolhi este livro para o desafio porque a pouco mais de um ano li outro livro da Marlena de Blasi - “Mil dias em Veneza”, e gostei bastante. Pouco depois soube do lançamento do que poderíamos chamar de uma “continuação” da história o que me interessou, mas por motivos que a razão desconhece fiquei enrolando para comprar o livro. Então quando saíram os temas do Desafio não foi difícil definir qual seria o livro deste mês.

No primeiro livro Marlena (chef de cozinha e crítica gastronômica) nos conta a história (real) de como se apaixonou por um veneziano, Fernando, e largou sua vida nos Estados Unidos para ir se casar com Fernando e viver em Veneza. Já em “Mil dias na Toscana”, ela nos conta como eles decidiram deixar, sua vida “segura” em Veneza, e partiram para um recomeço em um vilarejo na Toscana em “busca de uma vida mais humana”. Se “Mil dias em Veneza” pode ser considerado uma celebração do amor, este “Mil dias na Toscana” é uma celebração da vida e seus pequenos, e maravilhosos, encantos.

No início, Marlena se mostra bastante reticente e insegura com a mudança, ao contrário de Fernando, que finalmente deixou para trás os fantasmas que o perseguiram durante toda a vida. Lá, eles encontram o velho Barlozzo (um personagem encantador), que vai introduzindo-os na vida do lugar. Vida esta que gira em torno dos eventos relacionados a vida no campo, como a vendemmia (colheita das uvas) e a colheitas das azeitonas.

Acompanhamos como ela vai penetrando na vida do vilarejo e se deixando encantar por ele. Um lugar onde a vida gira em tono da boa mesa e de um bom vinho. As descrições dos pratos preparados por ela são extremamente detalhadas e capazes de deixar qualquer um com água na boca. Várias das receitas estão no livro, mas não acho que vou me arriscar a preparar qualquer uma delas (são um tanto complicadas).

O texto é leve e escrito de uma forma sutil e bem gostosa de ler. No entanto acho que o final foi um tanto abrupto, o segredo de Barlozzo (mencionado inclusive na sinopse) poderia ter sido mais trabalhado. Fica a sensação de que faltou algo. Mas ainda assim o livro é bom, mas confesso que me encantei mais com o “Mil dias em Veneza”.

7 comentários:

  1. Ainda pretendo ler Mil dias em Veneza para o mês de janeiro do DL, se der tempo (espero que sim). Comprei hj, inclusive... hehehe
    Não li a fundo sua resenha, para evitar spoilers, mas espero que a leitura tenha sido proveitosa. Bjs

    meusvariosmundos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Super romantica esta continuacao de Mil Dias em Veneza!!! Muito boa sua resenha.

    ResponderExcluir
  3. Estou lendo Mil Dias em Veneza e estou gostando. Não coloquei o "em Toscana" também para não ficar muito repetitivo. Se eu terminar os dois livros escolhidos até o final do mês eu leio o segundo.
    Ainda bem que está gostando

    ResponderExcluir
  4. Os livros da Marlena são realmente bons. Embora não seja o tipo de literatura que estou habituada (nem lembro como foi que o Mil dias em Veneza veio parar na minha mão), mas é sempre bom variar as leituras. Acho que esse é o ponto mais legal do desafio literário.

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho dificuldade em me adaptar esse tipo de literatura, mas não descarto a sua leitura caso surja a oportunidade. Dar-se a conhecer e quebrar preconceitos de leitura é o mote do DL.

    ResponderExcluir
  6. Só por ter esta região da Itália como pano de fundo este livro já me atrai muito! Pena que no momento estou super pobre e não posso comprá-lo! rs...
    Criei um blog há menos de um mês, ficarei infinitamente feliz se você puder visitá-lo e, quem sabe, segui-lo e comentar em alguma postagem (entrepalcoselivros.blogspot.com)! Ótima semana pra você! :)

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails