segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore

Excelente video para nos lembrar do poder das histórias. Simplesmente lindo.


The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore from Moonbot Studios on Vimeo.

sábado, 14 de janeiro de 2012

Grandes Esperanças – Charles Dickens

Sinopse: A vida de Pip, órfão criado pela irmã num ambiente de pobreza, é radicalmente alterada quando um misterioso benfeitor lhe doa uma fortuna. Sua mudança para Londres, o esforço para tornar-se um cavalheiro, as grandes esperanças e certos dilemas morais tornam este romance de Dickens leitura inesquecível.


O livro começa narrando a história da infância de Pip, um menino órfão de sete anos que é criado por uma irmã bem mais velha, que o trata com extrema violência, e pelo marido dela Joe, que pode ser considerado exatamente o oposto, um homem doce e honrado, e extremamente carinhoso com seu “amigão” Pip. O dia em que ele encontra um condenando fugindo da polícia no brejo próximo a sua casa irá marcar sua vida. Vivendo em um ambiente de pobreza em uma pequena cidade a única perspectiva de Pip é tornar-se aprendiz na ferraria de Joe. Até que um belo dia, o advogado Mr. Jaggers informa Pip que um benfeitor, que exige anonimato, irá financiar seus estudos para que este se torne um cavalheiro e irá lhe doar sua fortuna, dando então a ele grandes esperanças.
A escrita de Dickens é absolutamente encantadora, fazendo com que você se envolva profundamente com Pip, sinta cada uma de suas dores, compartilhe seu remorso e se revolte com tamanha crueldade com que ele é tratado. É um livro triste, mas poucas vezes li um livro tão belo. Não é em vão que é considerado um dos maiores clássicos da literatura inglesa.

sábado, 7 de janeiro de 2012

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Mil dias na Toscana - Marlena de Blasi (Desafio Literário 2012)

Esta postagem é parte do Desafio Literário 2012, que no mês de janeiro tem como tema Literatura Gastronômica.


Sinopse: "Há alguns anos, quando se conheceram, Marlena e Fernando se apaixonaram à primeira vista e começaram a viver uma história de amor que mais parecia um conto de fadas. Agora, decidem que chegou o momento de dar adeus a Veneza, onde tudo começou, e partem em busca de uma vida mais tranquila.
O destino escolhido é San Casciano dei Bagni, um vilarejo com 200 habitantes, fontes termais e olivais centenários. De início, Fernando está mais empolgado do que Marlena. No entanto, nesse pedaço de terra onde a Toscana, a Úmbria e o Lácio se encontram, as amizades amadurecem à mesa, em torno de refeições gloriosas regadas a vinho tinto. O que poderia ser melhor para uma chef de cozinha?
Novamente, Marlena e Fernando vivem um caso de amor à primeira vista. Dessa vez pela aldeia e pela vida no campo, pelos vinhos artesanais e pela esplêndida cozinha, pelo céu toscano e pelos sinos da igreja local. Mas, acima de tudo, pelo velho Barlozzo, que os recepciona, os adota e, aos poucos, também se apaixona por eles.
Guiados pelo “duque”, eles descobrem tabernas rústicas, onde o jantar é qualquer coisa que tenha sido colhida ou caçada naquele dia; participam da vindima; visitam festivais sazonais; catam castanhas no bosque; saem para caçar trufas e cogumelos selvagens; sobem em árvores para apanhar azeitonas, uma a uma, e depois experimentam o azeite recém-espremido sobre um pão simples de casca crocante.
À medida que o afeto entre eles vai crescendo, Barlozzo começa a mostrar suas feridas abertas e a revelar seus segredos mais profundos. Um deles tem a ver com Floriana, uma linda e agradável senhora que logo se torna amiga inseparável de Marlena.
Ambientado num dos lugares mais bonitos do planeta, Mil dias na Toscana é uma história sobre um estilo de vida simples, doces paixões, amizades e refeições compartilhadas. E, acima de tudo, é uma história de amor verdadeiro – um amor que não tem idade nem fim." (Editora Sextante)
Escolhi este livro para o desafio porque a pouco mais de um ano li outro livro da Marlena de Blasi - “Mil dias em Veneza”, e gostei bastante. Pouco depois soube do lançamento do que poderíamos chamar de uma “continuação” da história o que me interessou, mas por motivos que a razão desconhece fiquei enrolando para comprar o livro. Então quando saíram os temas do Desafio não foi difícil definir qual seria o livro deste mês.

No primeiro livro Marlena (chef de cozinha e crítica gastronômica) nos conta a história (real) de como se apaixonou por um veneziano, Fernando, e largou sua vida nos Estados Unidos para ir se casar com Fernando e viver em Veneza. Já em “Mil dias na Toscana”, ela nos conta como eles decidiram deixar, sua vida “segura” em Veneza, e partiram para um recomeço em um vilarejo na Toscana em “busca de uma vida mais humana”. Se “Mil dias em Veneza” pode ser considerado uma celebração do amor, este “Mil dias na Toscana” é uma celebração da vida e seus pequenos, e maravilhosos, encantos.

No início, Marlena se mostra bastante reticente e insegura com a mudança, ao contrário de Fernando, que finalmente deixou para trás os fantasmas que o perseguiram durante toda a vida. Lá, eles encontram o velho Barlozzo (um personagem encantador), que vai introduzindo-os na vida do lugar. Vida esta que gira em torno dos eventos relacionados a vida no campo, como a vendemmia (colheita das uvas) e a colheitas das azeitonas.

Acompanhamos como ela vai penetrando na vida do vilarejo e se deixando encantar por ele. Um lugar onde a vida gira em tono da boa mesa e de um bom vinho. As descrições dos pratos preparados por ela são extremamente detalhadas e capazes de deixar qualquer um com água na boca. Várias das receitas estão no livro, mas não acho que vou me arriscar a preparar qualquer uma delas (são um tanto complicadas).

O texto é leve e escrito de uma forma sutil e bem gostosa de ler. No entanto acho que o final foi um tanto abrupto, o segredo de Barlozzo (mencionado inclusive na sinopse) poderia ter sido mais trabalhado. Fica a sensação de que faltou algo. Mas ainda assim o livro é bom, mas confesso que me encantei mais com o “Mil dias em Veneza”.
Related Posts with Thumbnails